Projecto Francesinha Um Projecto de bem comer a norte

26Nov/116

Taberna Belga – O verdadeiro Outsider

francesinha-300x225

Para quebrar a rotina, o Projecto Francesinha decidiu esta semana abrir a decisão da nossa próxima visita à nossa blogosfera. Cerca de 80 responderam ao nosso apelo, votando nos espaços que mais gostavam de ver visitado. Em dia de jogo, o nosso verdadeiro Francesinha Bus rumou a norte, mais concretamente à cidade dos Arcebispos: Braga recebeu-nos de braços abertos. O destino era conhecido: a muito famosa Taberna Belga vestiu-se de gala para nos receber.

Era um dia de frio. Um dos muitos que temos sido brindados recentemente. A dificuldade de estacionar ditava uma ainda maior: a de arranjarmos uma mesa. O Porto empatava e várias pessoas perfilavam-se à volta da enorme Taberna Belga cheias de esperança....de comer uma francesinha ainda nesse dia. É sabido que o Projecto não aprecia esperas de larga espera mas para sorte da noite, entrámos sem grandes demoras. Pedimos a francesinha especial da ordem, com batata e ovo. E aguardámos. As diferentes salas deixavam antever um ambiente mais que caseiro e a interacção com os empregados era rápida, simpática e eficiente. O Porto marcara, a cerveja escorregava e os braços estavam no ar: tudo parecia mais fácil.Entre dois dedos de conversa e muita ansiedade, vimos passar por nós a sublime princesa: aspecto suculento, voava como um boeing trans-atlântico...cheia de velocidade para outra mesa. Do nada, bola na área, o Rodriguez mete o pé e a bola está na baliza: 4 francesinhas aterram no aeroporto do Projecto. Estes verdadeiros voos low-cost cedo se revelaram de primeira classe, apesar de não parecerem: o aspecto tosco e o molho muito alaranjado - a sugerir o abuso da mostarda como ingrediente principal - parecia encaminhar-nos para a ravina da desilusão. Contudo, o PF não se deixa cair fácil!

Na primeira garfada, a opinião não foi unânime mas à medida que íamos comendo, íamos gostando cada vez mais. É daquelas francesinhas que parece grandes no prato, que enchem o estômago sem nos deixar com a sensação de enfartamento que muitas francesinhas nos deixam. O molho era diferente do que estávamos habituados: sabores fortes de um picante diferente que sem sabermos identificar, habituamos a gostar pela facilidade com que envolve a francesinha. O pão, não muito tostado, acompanhava as inovações no molho que, pela primeira vez em muitas sessões do PF, aprovávamos!

No interior, a falta de salsicha fresca e linguiça era compensada pela presença de chouriço saloio e outras variantes de fiambre. Será isto uma francesinha? A nossa resposta era sim! O queijo de boa qualidade e o bife de topo não deixavam enganar. A casa era acolhedora e o preço era convidativo (cerca de 8 euros). Apesar das falhas em relação à tradição, o PF aprovou com distinção esta nova forma de fazer a francesinha: low-cost, confortável e saborosa, a Taberna Belga é um verdadeiro outsider que entra directo no nosso top 10. Recomendamos a todos aqueles que, na zona norte, queiram provar algo diferente. Um abraço e até já a todos os amantes de Francesinha.

Parâmetros lmatias rpinto hvara dalves TOTAL
Local 6 7 6 7 6.50
Molho 8 7 7 7 7.25
Batatas 6 6 6 5 6.00
Inovação 9 8 8 7 8.00
Ingredientes 6 5 5 5 5.25
Preço 8 7 7 7 7.25
PONTUAÇÃO FINAL 7.17 6.67 6.50 6.50 6.71
CUSTO TOTAL 8,03 €
Comments (6) Trackbacks (0)
  1. Por acaso estava curioso de saber a análise do “projectofrancesinha” sobre a Taberna Belga, local que deixei de frequentar, pois mudaram muito desde que eu comecei a lá ir.

    Pelos vistos a vocês já faltava até a linguiça…a última vez que lá fui tinha quatro míseros pedacinhos (classificava como lamelas) no fundo bem enterrados no pão para não se notarem. O preço…quando eu comecei a comer lá francesinhas…valia bem…porque era bem servida. Agora apesar de ter sido considerado bom, já não vale isso…por 10 ou 11 euros (com bebida) sou capaz de comer francesinha melhor noutro lado…e sem precisar sair de Braga.

    O único ENORME trunfo que realmente a Taberna Belga tem, é sem dúvida nenhuma O MOLHO que, para mim, (até hoje) foi o melhor que provei. Pena que o resto em larga escala tenha sido esquecido.

    Mas visto que eu já lá comi bem…e passei a comer menos bem (soberba de empresário: “este já é cliente habitual…já não tem coragem de reclamar”…enganaram-se). Quando reclamei…fui recebido com quatro pedras na mão e uma ironia bastante antipática na resposta. Mas lá está…quem investe no crescimento (pois a sala grande que vocês viram não existia há um ano e tal atrás, não posso precisar bem quando, mas é bastante recente)…às vezes prefere baixar na qualidade da oferta para ressarcir algum dinheiro. Mas eu como não admito baixas de qualidade…das duas uma: ou recuperam-na…ou então deixo de ser cliente…e foi esta última a minha opção!

    …sugiro outras casas para vossa visita:

    Cervejaria Sagres (tradicional e em prato de barro);

    Maria Bolacha (não sendo uma sumidade de francesinha, é suficientemente boa, lamenta-se é o recurso às novas tecnologias de fazer pedidos por PDA’s que impossibilitam o registo específico do que o cliente quer, isto é, vem uma francesinha muito industrializada, nomeadamente o ovo mal passado e por cima do queijo, visto que normalmente eles metem o ovo bem passado e debaixo do queijo);

    Café Imperial (apesar de nunca ter calhado de lá ir, falam-me muito bem das suas francesinhas);

    Pescador (em Esposende, não é Braga mas na minha opinião vale bem a deslocação esporádica, no verão talvez, quando se for para a praia ou quando regressarmos dela).

    Um abraço.

  2. Amigo,

    Compreendo a tua revolta. Podemos ter tido sorte ou azar, mas a verdade é que a francesinha tem qualidade e não é assim muito cara. A francesinha não é um prato industrial, logo não sai sempre igual. É preciso ter isso em conta…desejo-lhe óptimas francesinhas e melhor sorte.

    PFrancesinha

  3. Não concordo com o comentário mitsukai. Sou cliente da taberna belga, desde os tempos que ele fala, da sala pequena, até agora à nova loja e que está ainda previsto crescer mais. A qualidade mantém-se, não alterou em nada desde o primeiro dia que lá fui, até agora… Se calhar, tiveste um dia mau, normal, acontece a todos.
    Já fui ao Café Imperial e simplesmente não gostei. Uma francesinha banal, demasiado picante e com um mau bife.
    Sem dúvida, a taberna belga neste momento é uma francesinha de eleição. Na minha opinião, conseguiu o que muitos não conseguem, aumentar ao espaço e manter a qualidade.
    Ainda na semana passada lá estive, e como sempre… Fantástico!!!
    Para quem gosta de francesinhas… É o sitio ideal!!!

    • Também concordo Miguel. Ao ler o primeiro comentário tive a sensação de que não seria possível estar a falar do mesmo local!
      Já experimentei várias, incluindo as referidas, e não há nenhuma, na minha opinião, que possa sequer ser comparada á francesinha da Taberna Belga. O molho é sem dúvida fantástico, mas também não podemos deixar de falar na qualidade do bife e das batatas fritas “caseiras” e não congeladas, dificeis de encontrar nos dias de hoje!
      Sou cliente habitual, já trato os funcionários pelo nome, e custa acreditar que algum dia tenham sido mal educados com alguém… Pelo menos eu não me posso queixar e considero o serviço e atendimento excelente.
      Com o crescimento do espaço e da fama só existe um aspeto que me desagrada… o tempo de espera e a quantidade de gente à porta a aguardar por mesa!

  4. PFrancesinha…é…e eu não digo que ela não tenha qualidade…simplesmente eu não suporto é baixas de qualidade quando “o cliente já é habitual”! Acredito que ela não saia sempre igual…e a minha revolta não veio de apenas uma experiência! Foi após algumas idas que verifiquei que a minha francesinha vinha sempre com uma qualidade menor do que a que estava habituado.

    Miguel, Eu acredio que tenhas tido sorte em que te mantivessem o serviço inalterado…infelizmente isso comigo não se passou…e quando reclamei (com todo o direito)…basicamente responderam-me com uma ironia inadmissível e má educação…e como tal deixei de lá ir.
    Mais uma vez repito, não foi por apenas um dia mau, pois dou sempre o benefício da dúvida. Vou um conjunto deles.
    Ao Café Imperial nunca fui…mas não digo que não sem provar antes. Pessoalmente gosto de muito picante, mas lá está, depende dos gostos e uma das coisas que estragou muito a receita original da francesinha…foi andarem a adulterar a receita com invenções que nada tem a ver com o prato em si (como inventar francesinhas de aves, ou vegetarianas, sem picante, etc). Francesinha é francesinha…quem não gosta, coma outras coisas!
    Quanto ao mau bife…antigamente na taberna belga eu adorava o bife…vinha sempre limpinho, tenro, com quase nenhum nervo e gordura…as últimas 5 vezes que lá fui…deixei lá quase metade do bife só em nervos, gordura e bife rijo! Não posso pedir desculpa se isso não é o vosso caso…mas foi o meu…e eu não admito bife de 3ª no meu prato! Eu não posso dizer que fui um cliente original desde o começo da Taberna…mas acho que os clientes habituais, independentemente da antiguidade devem ser tratados todos por igual.
    Não nego que seja a melhor francesinha de Braga, mas lá está, eu não dispenso os dois grandes pedaços de linguiça a que tinha direito sempre que lá ia; é um facto que nunca me lembro de ter salsicha fresca, mas a linguiça que tinha colmatava essa falta, agora como não tem nada a não ser 4 míseras lamelas enfiadas no pão…não passa de uma tosta mista com um bife no meio e um “over-the-top gravy”!

    Quanto ao manter a qualidade depois de aumentar o espaço…lamento, mas discordo totalmente…mas lá está…há muito cliente fiel que se calhar é melhor servido que eu…e eu só posso falar da minha experiência!

    Para quem gosta de francesinhas (e eu sou consumidor das mesmas até a um nível nada saudável), e já comeu francesinhas em variadíssimos locais (foi a minha experiência que foi apontada como irrelevante e ridicularizada pela taberna belga no facebook)…sabe que, um molho excelente e poupança no resto dos ingredientes, não é de todo suficiente…e deixa, para mim claro está, de ser um sítio ideal quando isso acontece!

    Bom proveito a quem tem a sorte de continuar a ser bem servido nesse local, cujo chapéu continuo a tirar no que diz respeito ao molho (guardem bem o segredo do molho, pois é a única maneira de manter aquilo aberto…visto que se alguém rouba a receita e se começa a difundir pelos outros locais…chapéu prá Taberna).

    Um abraço.

  5. Melhores francesinhas de Braga e arredores! Nunca comi tão boas. Recomendo


Leave a comment

(required)


*

Trackbacks are disabled.