Projecto Francesinha Um Projecto de bem comer a norte

10Nov/112

Bonanza – Canto Saboroso de História

francesinha_bonanza-150x150

Caros amantes de Francesinha, o Projecto de todos vós está de volta. Tínhamos em mente uma viagem para fora do Porto. O tempo invernal rapidamente mudou as nossas ideias. Vários acidentes nas vias principais em redor do Porto. Um verdadeiro caos no trânsito portuense. Para jogar pelo seguro optamos por ficar por cá. São colocadas as opções em cima da mesa. Tomamos o rumo da Avenida Fernão Magalhães. A chuva, o vento e o frio chegaram para ficar. Verdade seja dita, já era altura.

Poucos minutos estamos à porta de uma das casas mais antigas da cidade do Porto. Findavam os anos 60 quando foi fundado o Café, Snack-Bar e Restaurante Bonanza. Casa típica do nosso querido Porto. Com uma história que se confunde com a história da cidade. Casa que evoluiu com o tempo e se adaptou as novas rotinas dos portuenses. À porta apresenta-se uma entrada colorida por um generoso reclamo luminoso.

Efectuamos inversão da marcha, bem ao estilo 'tuga'. Estacionamos o carro um metros mais à frente. Vamos fugindo das gotas que o céu nos vai atirando. Chegamos. Entramos e gostamos do que vemos. Somos abordados por um empregado que nos encaminha para a mesa. Aqui a arte de bem servir é levada a sério. Rigor, experiência e dedicação são factores de selecção dos novos colaboradores, não haja dúvidas.

Pedimos uns petiscos para ir 'picando' enquanto vamos olhando o menu. 'Francesinha nº 25' e 'Francesinha - A Primitiva' surgem no menu entre outras opções. Ficamos curiosos. Optamos por uma escolha coerente: Francesinha especial com ovo e batata frita. Os petiscos evaporam-se. Somos esclarecidos pelo empregado 'a nº 25' é uma Francesinha com gambas e mais umas coisas. A 'primitiva' é amanhada com 'pão bijou'. Passamos. Continuamos com a nossa escolha.

Olhando em volta, temos uma decoração sóbria. O negócio evoluiu mas a decoração manteve-se clássica, com um toque dos anos 70. Um espaço confortável que têm agradado as várias gerações de clientes que por lá vão saboreando pratos de excelência. De referir que esta casa tradicional tem entregas de refeições ao domicílio. Algo que estamos habituados a ver em grandes cadeias de fast-food. Uma ideia com classe, levar até nossa casa refeições de qualidade. Quem sabe uma noite o Projecto não fica em casa e saboreia a sua Francesinha no aconchego do lar ? Podiamos, mas não era a mesma coisa :) . Somos malta do terreno. Somos exploradores.

Ei-las! Bom aspecto. A acompanhar umas batatinhas fritas. Saltaram do congelador, ponto negativo. Com sal q.b. e um aspecto moreno. Avançamos para as meninas da noite. Um ovo generoso no topo. O pão ligeiramente tostado. Estamos perante um Francesinha de qualidade. Molho picante, como deve ser. Agradando a todos ou não, é um molho tradicional. Espessura e textura à antiga...(se bem que um pouco de inovação neste ponto não faria nada mal à sua saúde...) envolvendo de uma forma consistente todo aquele paralelepípedo amarelo.

No interior temos tudo a que temos direito. Em quantidade e em qualidade. Um bife tenro e bem confeccionado. Os enchidos estão presentes bem no interior. Conferem ao recheio um sabor picante e bem temperado. De facto uma Francesinha de qualidade. Não poderíamos esperar outra coisa de uma casa tão respeitada pelos portuenses.

Ambiente seleccionado num local com atendimento superior. A Francesinha acompanha toda esta classe e coloca-se firmemente nos 15 primeiros lugares do nosso top. Enquanto o IVA não sobe lá nos vamos dando a estes pequenos grandes luxos. As descobertas continuam e não ficam por aqui. Até breve!

Parâmetros lmatias rpinto hvara dalves TOTAL
Local 7 7 7 7 7.00
Molho 6 4 6 4 5.00
Batatas 8 7 5 7 6.75
Inovação 5 5 6 6 5.50
Ingredientes 9 8 8 8 8.25
Preço 7 7 6 7 6.75
PONTUAÇÃO FINAL 7.00 6.33 6.33 6.50 6.54
CUSTO TOTAL 8,60 €
Comments (2) Trackbacks (0)
  1. As Francesinhas do Bonanza são divinais, aconselho a quem não as conhece a ir prova-las.

  2. Confesso que não me apaixonei. Demasiado fiambre, linguiça nem vê-la. Molho demasiado líquido e sal a mais – fiquei com uma sede o resto do dia…

    Não foi uma tragédia grega, mas não creio lá voltar… ou se o fizer, pelo menos não pedirei francesinha. :P


Leave a comment

(required)


*

Trackbacks are disabled.