Projecto Francesinha Um Projecto de bem comer a norte

7Jul/113

Locanda: O Forno Clássico

francesinha_locanda-300x225

Já passou mais de um ano desde que o Projecto começou a invadir as casas de francesinhas um pouco por todo o norte do país. O sentimento do dever cumprido é algo que sentimos cada vez que nos juntamos mas a ambição de ter mais e sobretudo, de conviver mais, persuade-nos a continuar. E esta semana fizemo-lo no conhecido Locanda, em Canelas. Numa altura de grandes movimentações, financeiras, governamentais e futebolísticas, é bom sabermos aquilo com que podemos contar. E o Locanda está na mesma...entrada rústica, quase escondida para que forasteiros curiosos não saibam bem onde fica o famoso "baú do tesouro".

Acontece que por aqui, o tesouro vai ao forno, numa das casas mais antigas a fazê-lo em Portugal. Falamos, claro está, da nossa afamada francesinha. O dia já ia longo e a fome já apertava, pelo que as tradicionais entradas, com os croquetinhos e umas chamuças a estalar fizeram as delícias. "Não há televisão..." diziam os mais preocupados com a linha. Sim, porque naquelas mesas, a concentração ia toda para o verbo "comer". O empregado, muito só e pouco espedito, tinha dificuldades em perceber os nossos pedidos à primeira e cometeu alguns enganos. Como sabem, nós ligamos a este tipo de coisas...pela negativa. Uma casa também se faz pelo seu atendimento e na nossa opinião, o Locanda começou com o pé esquerdo neste capítulo.

Mais dois dedos de conversa sobre o mercado de trabalho depois de "arrumados" duas travessas de entradas e já o forno ruge ao fundo. "Rauum, rauuum" dizia ele das suas labaredas num incendio que só parou mesmo na nossa mesa: as francesinhas foram servidas! O primeira impressão é deliciosa. O molho era muito bom e a francesinha tinha bom aspecto, apesar que o queijo não tinha aquela textura a qual estávamos habituados...as batatas chegam e o primeiro baque: são boas...e congeladas. Projecto Francesinha não gosta disto.

Abrindo a Francesinha, percebemos uma boa qualidade dos ingredientes mas a falta da salsicha fresca. O bife apresentou também algum nervo, coisa a qual não perdoamos. Uma francesinha tem de ter ingredientes de excelência...o molho é de excelência mas os ingredientes, talvez frutos de uma grande massificação da dita cuja, não eram incríveis. Limitavam-se ao patamar do bom. O preço foi a surpresa: abaixo dos 10 euros, como costuma mandar o standard das casas deste nível. Os gelados estavam bons pelo que entendemos que o Locanda, apesar de ter uma francesinha de eleição, é capaz de não valer "aquela deslocação especial". Fica a nossa opinião sobre este templo das francesinhas. Abraços para todos os leitores e comam francesinhas....com moderação!

Parâmetros lmatias
rpinto
hvara
dalves TOTAL
Local 6 5 5 5 5.25
Molho 8 8 8 7 7.75
Batatas 6 7 7 7 6.75
Inovação 7 8 7 7 7.25
Ingredientes 7 6 6 6 6.25
Preço 8 7 7 7 7.25
PONTUAÇÃO FINAL 7.00 6.83 6.67 6.50 6.75
CUSTO TOTAL 9.35 €
Comments (3) Trackbacks (0)
  1. Tal como os mortos estão “lá em cima”, também está esta grande francesinha.

  2. Já comi neste local uma francesinha há cerca de 2 anos e devo dizer que gostei bastante.
    Uma francesinha que passe pelo forno e que se apresente num prato de barro é logo outra coisa…
    Já não me recordo se as batatas eram congeladas ou não mas concordo em absoluto: BATATAS CONGELADAS NÃO!!!

  3. Têm que ir visitar também o AMANDIUS em Santa Maria da Feira.
    Depois dêm a vossa opinião.


Leave a comment

(required)


*

Trackbacks are disabled.