Projecto Francesinha Um Projecto de bem comer a norte

25Jun/123

Café Atenas – Matéria bem estudada

francesinha1-150x150

Caros amantes de Francesinhas, o vosso Projecto favorito está de volta! Embalados pelas boas ondas que assolam o país do futebol partimos hoje para a cidade dos estudantes. Reunião marcada e à hora certa estamos todos reunidos. Partimos então para Coimbra, mais concretamente para o Café Atenas. Muito comentado e amplamente recomendado pelos nossos leitores mais atentos. Não poderiamos passar ao lado dessas sugestões.
Trajecto fácil, rumo a sul.

Chegados á bela cidade de Coimbra. Estudantes de capa negra vagueam pela rua e aproveitam os ultimos raios de sol. Divertem-se nas muitas esplanadas da cidade e programam a noite que se aproxima. Para nós os destino é outro. Procuramos os Café Atenas e um manjar que nos forre o estômago devidamente. A fome já aperta.

Aí está ele! Finalmente encontramos o famoso Café Atenas. Gente á porta e o interior está repleto! Tudo boas notícias. Entramos a sala está cheia, mas com alguma perícia lá se orienta uma mesa para os quatro. Malta jovem e de trato fácil preenche as mesas, deliciam-se com Francesinhas. Pedimos sem vacilar: Francesinha com batata frita e ovo. Pedimos também um 'sortido' de entradas. A fome aperta e é preciso aconchegar o estômago antes do prato principal.

Lá do fundo, de uma janelinha saem a uma velicidade estonteante pratos com paralelepípedos amarelos envolvidos em vapor. Vão voando para outras mesas enquanto nos vai crescendo água na boca. Acabou o 'sortido'. Sem contar surge na mesa uma travessa imponente de batata frita. Batata daquela que nós tanto gostamos, está a ganhar pontos. Quantidade e qualidade. Vem mais uma rodada de bebidas. Chegam elas, uma a uma como modelos de alta custura desfilam da janelinha lá do fundo até a nossa mesa.

Aspecto compacto e bom tamanho. A cor do molho impressiona. Somos seduzidos á primeira vista. Chegam à mesa e aquele cheirinho do molho não engana, aqui sabem da 'poda'...O molho picante e com boa textura. Um pouco líquido mas tem aquele sabor que nos agrada bastante. Intenso e explosivo no palato. Os condimentos estão lá todos. Acamados como manda a lei. Bife tenro e soculento poderia ser só um pouco mais alto. Salsicha e linguiça de boa qualidade. Fiambre em boa quantidade finaliza este interior de sonho. Uma sanduíche compacta e bem feita. No fundo como todas as Francesinhas deveriam ser. Todo o saber e amor foi transportado para a cidade dos estudantes.

Estamos perante uma Francesinha de topo. Claramente o Zé do Atenas sabe o que faz. Bom serviço, boa comida. Esta casa tem tudo para continuar o bom caminho que já fez! Ficamos felizes por saber que em Coimbra também se pode saborear uma boa Francesinha. Parabéns pelos 12 anos de casa e esperamos que sejam no mínimo sejam outros tantos.

A cidade Coimbra está muito bem servida com esta casa. Realmente uma surpresa bastante agradável. Certamente ensina a arte de bem cozinhar uma Francesinha a muitas casas que existem na Invicta.
Vale bem a pena a visita para quem esteja de visita á cidade de Coimbra.

Até breve e boas Francesinhas!

Parâmetros lmatias rpinto hvara dalves TOTAL
Local 7 6 7 6 6.50
Molho 7 5 5 5 5.50
Batatas 7 7 8 8 7.50
Inovação 6 6 6 6 6.00
Ingredientes 8 8 8 9 9.25
Preço 7 7 7 7 7.00
PONTUAÇÃO FINAL 7.00 6.50 6.83 6.83 6.79
CUSTO TOTAL 8,30 €
Filed under: Uncategorized 3 Comments
11Jun/126

Manjar das Francesas – Meia Torrada

francesinha-300x272

Para nós, é mais uma etapa. Mais uma casa visitada...mais uns kms percorridos. Não estamos muito a fazer contas...nem a ver qual é o melhor sítio para ir, o mais mediático. Simplesmente vamos. A francesinha é apenas o pretexto para o encontro de 4 amigos. Um detalhe importante é claro...mas nada mais do que isso. Ainda por cima, o Europeu está a decorrer....o tema de conversa é incontornável. O GPS indicou que já lá estávamos...o reclamo de fora confirmava as nossas expectativas. Chegávamos a Amorim, na Póvoa de Varzim...mais concretamente ao Manjar das Francesas.

O espaço é pitoresco: fica entre a estrada nacional da Póvoa do Varzim e Braga, na pequena vila de Amorim. Àquela hora, estava lotado...uma quinta-feira feriado. À nossa volta dançavam todo o tipo de snacks possíveis....após questionarmos o empregado, lá nos sentámos. Quando nos ofereceram o menu, ficamos bastante baralhados: há vários tipos de francesinhas e nenhum parece-se sequer com o que estamos habituados. Após alguma pesquisa e trocas de impressões, decidimo-nos pela francesinha americana...fosse lá o que isso quisesse dizer. A cerveja já marcava presença óbvia no nosso estádio....pode-se dizer até que entrou a marcar :) As expectativas para a estreia de Portugal eram grandes...e as para a francesinha eram maiores, tal a velocidade com que elas passavam por nós. Podemos dizer até demasiado rápido: menos de 5 minutos depois de fazermos o pedido, já estávamos servidos. E quando a esmola é muita....

O aspecto inicial não impressionou. Algo laranja em cima parecia cenoura e talvez pickles ralados...um molho líquido demasiado laranja e um toque de morte: ketchup e mostarda. Será que estamos no liceu? Não pedimos um cachorro...pedimos uma francesinha. E bem sabemos que a francesinha poveira é diferente das demais...daí ao ketchup vai uma grande distância. Os locais não estranham, pode dizer-se: na mesa mesmo ao lado, alguém pedia o "biberão vermelho" para rechear um pouco mais o seu prato...estranho não? Não é pois de estranhar que as carnes por dentro não tenham a qualidade que tenhamos procurado...com poucas e fracas carnes de porco e um bife de vaca envergonhado. O queijo era pouco ... já tínhamos referido o molho esquisito? Enfim...demasiados defeitos para ser verdade. Já para não referir o verdadeiro inferno que é estacionar lá: a localização numa estrada nacional não deixa muitas alternativas a quem quiser estacionar descansado....a falta de Multibanco parece vinda do estado novo...e o horário de fecho (22:00) é, no mínimo, disparatado.

Se quiserem comer uma boa francesinha, recomendo que façam uns kms até ao centro da Póvoa e procurem um dos vários espaços que lá há....este manjar não vale a paragem. Nem para comer meia torrada (sim, o menu tinha preços e fotografias diferentes para uma torrada e para Meia Torrada...vá se lá saber porquê).

Parâmetros lmatias rpinto hvara dalves TOTAL
Local 6 6 6 7 6.25
Molho 6 3 5 5 4.75
Batatas 6 5 6 6 5.75
Inovação 2 6 4 3 3.75
Ingredientes 3 4 4 4 3.75
Preço 5 5 5 5 5.00
PONTUAÇÃO FINAL 4.67 4.83 5.00 5.00 4.88
CUSTO TOTAL 9,00 €
Filed under: Uncategorized 6 Comments