Projecto Francesinha Um Projecto de bem comer a norte

28Feb/112

Passatempo “Francesinhas à Moda do Porto”

capa_francesinhas21-200x3001

Gostavas de receber de oferta um exemplar do livro "Francesinhas à Moda do Porto"? O ProjectoFrancesinha tem 3 para te oferecer! Para tal, basta enviares um pequeno texto até 6 de Março de 2011 com o máximo de 200 caracteres a descrever o que é, para ti, um jantar com uma Francesinha à Moda do Porto para ProjectoFrancesinha@gmail.com

As melhores 3 descrições serão publicadas num post do nosso blog e receberão de oferta um exemplar do livro!!! Até já e boas francesinhas!

Filed under: Francesinhas 2 Comments
27Feb/110

Projecto Francesinha apresenta o livro “Francesinhas à moda do Porto”

capa_francesinhas2

A convite do autor João Carlos Brito, iremos no próximo dia 6 de Março participar no lançamento do livro: "Francesinhas à moda do Porto" da editora Lugar da Palavra. Fomos apanhados um pouco de surpresa com este pedido. Mas após uma conversa com o autor rapidamente nos identificamos com o conteúdo e objectivo do livro.

O livro é composto por contos de ficção, num registo que é suposto ter graça. Todos eles tem como figura principal a maior invenção gastronómica no Porto do século XX, a Francesinha. No final, o livro terá um Dicionário Gastronómico Tripeiro, com cerca de 500 entradas de vocábulos e expressões ligadas à culinária.

A Francesinha é sem duvida o maior ícone gastronómico da cidade e é aqui retratado de forma alegre como nunca se viu. Acima de  tudo é um livro de humor, para fazer rir e despertar no leitor bons momentos. Boa companhia para uma tarde solarenga numa qualquer esplanada da cidade do Porto. Esperemos que gostem, pois nós gostamos muito!

O lançamento decorrerá na Fnac de Sta Catarina pelas 17 horas. Contamos com a vossa presença e apoio!
Até breve !

Filed under: Francesinhas No Comments
16Feb/1122

Gambamar – Afinal há mais que marisco

Para esclarecer as mentes mais interessadas e/ou os mais distraídos, o Projecto Francesinha ocorre com periocidade quinzenal às terças-feiras. Mais uma terça-feira e o Projecto Francesinha não deixa as suas tarefas em mãos alheias.

Fim de tarde cinzento, com chuva aqui e ali. O Projecto Francesinha não se amedronta e parte para mais um etapa. Desta feita a escolha recai sobre o Restaurante Gambamar, local famoso pelos mariscos e seus derivados, bem como pelas Francesinhas. As expectativas estavam elevadas, o elevado número de sugestões que nos fizeram deste local sustentam esse sentimento. Nós aqui jogamos mais no campo da degustação e enfardamento propriamente dito. Deixamos o requinte e a especialidade da cozinha para quem de direito. Como diz um amigo: 'Somos uma equipa, cada um tem a sua função'. A nossa é claramente sentar, pedir, esperar, comer e apreciar os manjares que nos colocam á frente.

Chegados ao local, com estacionamento privativo. Entramos e rapidamente nos encaminham para a sala de não fumadores. Apresentam-se entradas que condizem com o nível do local, médio-alto. Todas as movimentações foram estudadas ao pormenor, não há movimentos despropositados, os empregados primam pela atenção e preocupação com que tudo esteja perfeito.

Pela primeira vez fomos reconhecidos. Não percebemos como, mas é um facto que não é propriamente do nosso agrado. Fazemos tudo por passar incógnitos. E é assim que pretendemos continuar.

Olhando para o menu reparamos que não há grande margem de manobra, apenas uma referencia á maior invenção Gastronómica Portuense do século XX. Não hesitamos e apostamos tudo, como de uma jogada de Póquer se tratasse, na Francesinha com ovo e batata frita. Enquanto ocupamos a nossa função de comensais, aguardamos acompanhados de uns queijinhos.Tudo parece correr sobre rodas, até as Francesinhas chegam á mesa acomodadas num carrinho. Algo já mais visto, mas dado ao apuro do local nada nos surpreende.

Primeiro olhar, a cor do molho não inspira muita confiança. Pelo contrário o luzir das batatas fritas auspicia boas marés. São para os nossos olhos pepitas. Tudo é colocado na mesa com primor. Iniciamos então a nossa rodada. Posicionamos algumas petitas (leia-se batatas fritas) entorno da Francesinha. Primeiro facto, mal atingimos ao queijo uma bela surpresa: o pão era ligeiramente torrado, o que deixava antever um manjar condizente com o primor e requinte do espaço. Algo não bate certo, o molho não joga bem com as batatas, muito por culpa deste e não das pepitas. Há algo que não é de facto do nosso agrado, assim como a cor, o sabor também não é do melhor que já provamos. O sabor muito forte a tomate, e provavelmente o molho de marisco, algo que não conseguimos identificar devidamente, conferem ao molho um sabor que as nossas bocas e estômagos não aprovam. Ao invés, os ingredientes estão todos lá! E de muito boa qualidade. Um bife com a altura que apreciamos, e cozinhado no ponto. A salsicha fresca surge em abundância, a linguiça também, bem como fatias de presunto e fiambre. Até camarão encontramos! De facto ingredientes de luxo e graduação elevada.

Ao contrário dos ingredientes o molho fica mal na fotografia, destoa um pouco neste ramalhete quase perfeito. Saímos com o sentimento de que esta Francesinha poderia voar muito mais alto se o molho e queijo fossem de melhor qualidade.

Já desde o longínquo 9 de Outubro de 2010 - com a entrada do Tappas - que o nosso Top 3 não era mexido. E assim sendo é com prazer que anunciamos uma entrada directa. Desta forma sólida, o Restaurante Gambamar voa para o terceiro lugar. Decisão consensual entre os quatro. Claramente uma boa Francesinha que, pensamos nós, deverá crescer ao nível do molho. De resto está, como se costuma dizer, no ponto!

Foi um final de dia bastante activo para o Projecto Francesinha, acompanhado de uma refeição à altura das espectativas. Não percam os próximos episódios, porque nós também não...

Mais uma vez agradecemos todas as sugestões, comentários e apoio que nos tem dado! A vossa participação alimenta o nosso desejo de vos trazer e apresentar as melhores Francesinhas deste país. Só com a vossa participação e apoio o Projecto Francesinha continuará e atingirá o seu objectivo: 'Apurar qual é, de facto, a melhor francesinha do país!'

Parâmetros lmatias
rpinto
hvara
dalves TOTAL
Local 8 8 8 7 7.75
Molho 6 5 5 6 5.5
Batatas 8 8 9 8 8.25
Inovação 7 7 6 7 6.75
Ingredientes 8 8 8 8 8
Preço 6 6 5 6 5.75
PONTUAÇÃO FINAL 7.17 7.00 6.83 7.00 7.00
CUSTO TOTAL 11.35 €
Filed under: Francesinhas 22 Comments
2Feb/114

Café Torres: Um Subúrbio Moderno

Vivam caros convivas.

É com prazer que o ProjectoFrancesinha abraçou mais uma viagem ao mundo das Francesinhas do nosso Portugal. Desta feita, fomos até ao concelho de Valongo, cidade de Ermesinde imortalizada pelos Gato Fedorento e o seu humor, sempre bem-vindo por estas paragens.

Já por uma vez tínhamos sido traídos por este destino que não outro podia ser que não o sobejamente famoso Café Torres: é que, pelos vistos, fecha às terças que costumam ser sagradas nesta paróquia. Chegados ao local, não nos deparámos com um café qualquer: o toque da modernidade chegou e impôs-se aqui. Sim, ainda vemos os azulejos azuis tão característicos de qualquer bom tasco português. Mas a porta inteligente de vidro que desliza suavemente à nossa entrada e o ar condicionado auspiciam algo de diferente...para melhor. O balcão, com uns cachecóis e a bandeira de Portugal deixam bem claro que ainda estamos na tuguice, claro. Mas é uma tuguice onde se vive bem.

Evidentemente que estava cheio, afinal de contas uma segunda à noite enche em qualquer sítio...que tenha uma boa francesinha, como é o caso do Torres. Mas já lá vamos...após esperarmos um pouco, lá encontrámos quatro lugares...à nossa medida. Lá fizemos a encomenda, nada original e aguardámos pelo pitéu esperado sem grandes entradas ou outros entretains...

Toldo Café Torres

Toldo Café Torres

Os finos estalavam, a televisão dava futebol, o ambiente era tradicional...só faltavam as pantufas para nos sentirmos em casa. A abordagem do empregado foi simples...com ou sem ovo foi a pergunta da noite. Parece que as bebidas também já constam do menu habitual destas paragens.

Interior Café TorresE pumba...golo...pelo menos para nós. Chegam as francesinhas à mesa...tímidas, humildes, quase que a pedir pela nossa aprovação. À primeira vista, parecem umas francesinhas de café, banais...sem cor ou molho espesso...sem altura para parecerem gulosas e a pedir por uma fatia mais grossa. Mas engana. Esta é uma francesinha diferente, com batatas palito cortadas à mão como manda a lei a rodearem o prato. Abrindo, a francesinha tinha tudo o que deve ter: bife, linguiça, enfim... aquele fartote de sabores que todos adoramos.

O melhor: As batatas fritas. Sem deslumbrar, gostámos. E isso chega. E o preço...6,5 euros parece justo coisa que já há muito não encontrávamos numa francesinha...e isso agrada ao Projecto.

Do atendimento nada há a dizer...temos sim a dizer dos ingredientes. O bife não era mau, mas também não é de primeira. E de um fazem 2 ou 3 pois acho que nunca vimos fatias tão finas...parecia papel e, apesar de ter a qualidade, ficou a saber a pouco. Do molho também se espera bem mais...algo mais feito na hora, menos aquecido, menos aquado...algo mais. Muito longe dos nossos amigos do Café São João, por exemplo. E o pão...panrico não é o indicado, lamento.

Pão de forma sim...mas algo mais profissional, mais alto, mais caro...melhor. Nós nem sabemos bem o quê...mas não gostamos do pão e achamos que quem visitar vai perceber isso mesmo. Claro que fica a recomendação de uma boa francesinha a um preço interessante que quem morar naquela zona do Grande Porto não deverá desperdiçar. Grande Abraço a todos os que nos seguem com um até já. O Projecto volta em breve!

Parâmetros lmatias
rpinto
hvara
dalves TOTAL
Local 7 7 7 7 7.00
Molho 6 6 5 7 6.00
Batatas 8 8 8 7 7.75
Inovação 6 5 5 6 5.50
Ingredientes 7 7 5 6 6.25
Preço 8 7 6 7 7.00
PONTUAÇÃO FINAL 7.00 6.67 6.00 6.67 6.58
CUSTO TOTAL 6.5 €
Filed under: Francesinhas 4 Comments